Orçamentos

A A.R.T – Anotação de Responsabilidade Técnica

Boa noite, pessoal! Conforme prometido, aqui estou novamente.

E aí, já ouviram falar em A.R.T – Anotação de Responsabilidade Técnica? 

construcao-de-moradia

 

Vou explicar um pouco do que se trata e qual o motivo de eu estar falando disso por aqui.

Grosso modo, a A.R.T é o documento [fundamental] que é assinado pelo engenheiro que executa a tua obra. A pessoa que assina essa anotação de responsabilidade, literalmente será responsável por que qualquer problema que ocorra na tua obra durante a execução e na tua casa para sempre (sim, para sempre!). Ou seja, estou morando há 5 anos na casa e começou a rachar parede? Pode apertar o engenheiro que assinou a A.R.T que ele vai dar o jeito dele pra entender o que aconteceu, se não foi problema de execução foi de projeto, não há outra hipótese. Ou o projeto estrutural estava subdimensionado para a sua obra, ou o projeto não foi corretamente executado.

Outro “detalhe” é que a A.R.T é documento essencial para executar a obra, sem A.R.T a obra está ilegal. Não significa que um baita pedreiro não dê conta de construir uma casa sem problemas, mas se o CREA resolver fiscalizar a obra e não tiver uma A.R.T de execução, pode esperar pela multa. Aqui no estado para dar entrada no projeto na prefeitura já é necessário ter um responsável pela A.R.T (que depois pode ser alterado, se for o caso).

Vocês lembram que eu tive um problema com meu primeiro empreiteiro, o cara sumiu antes mesmo de assinar o contrato. Este desaparecido era engenheiro e possui (ou possuía) diversas equipes de pedreiros que trabalhavam para ele. Como ele é registrado no CREA, ele mesmo assinava as A.R.Ts das obras que pegava para executar, então eu nem me preocupava com isso. O problema começou quando a empreiteira que contratamos não tinha um engenheiro na equipe, ou seja, não tinha quem assinasse a A.R.T.

 

Antes de continuar, dois parênteses:

1) nunca, veja bem, NUNCA dê qualquer dinheiro a nenhum pedreiro ou empreiteiro antes de assinar um contrato onde formaliza toda a prestação de serviço, é a única ferramenta que se tem caso tenhamos que recorrer à justiça. Se tivéssemos pago qualquer coisa para o desaparecido, nosso dinheiro provavelmente teria desaparecido com ele!

2) é bem comum essa estória de empreiteira sem engenheiro, assim como é comum ter engenheiro que só presta esse serviço, de assinar A.R.T.s.

Fecha parênteses e segue o post.

 

Então, como o nosso empreiteiro não tem engenheiro na equipe precisávamos contratar um engenheiro que assinasse a A.R.T. E aí assim, galera, se encontra os mais diversos orçamentos. Por aqui vimos preços que variavam de R$1000,00 à R$2800,00 por mês durante a execução da obra. Os serviços prestados consistem em visitas periódicas (duas por semana), assinatura da A.R.T e acompanhamento da execução dos projetos, resolvendo os eventuais problemas quando o projeto encontra alguma incompatibilidade não esperada.

Para encurtar um pouco, fizemos um acordo com o empreiteiro que arcou com parte dos custos da contratação do engenheiro e está tudo resolvido!

Até o próximo post que, espero, seja trazendo notícias do estaqueamento.

Abraços! 🙂

 

Anúncios

E quem executa? Empreiteiro? Pedreiro?

E ai pessoal, tudo certo?

Estamos fazendo algumas modificações nos projetos, por isso ainda não postamos ele por aqui. Acredito que até a semana que vem já teremos tudo pronto e aí prometemos mostrar tudo para vocês, ok?

Então, nesse meio tempo, vamos falar de outro assunto que complica a vida de quase todo mundo que vai construir: que vai levantar as nossas paredes!?

departamento_construcao

Esse é um assunto que gera um monte de duvidas, de valor variável ao extremo e objeto de muito stress durante a construção e antes também. Confesso que não sei o que é mais difícil: conseguir finalizar a obra com o mesmo empreiteiro/pedreiro; ou contratar um bom e confiável empreiteiro/pedreiro que tenha um preço justo. Já viram que o post vai ser longo né?

Pois é pessoal, encontrar essa boa relação custoXbenefício é uma tarefa bem árdua, principalmente quando temos que pesar a qualidade de um trabalho que só podemos ver o final. Quer dizer, a gente pode visitar as obras dos empreiteiros e pedreiros, ver as casas já prontas e etc, mas saber como foi o desenvolvimento do projeto é praticamente impossível! Alguém aí dirá: “nada a ver, dá pra conversar com os clientes do cara”. Verdade, dá mesmo! Podemos pegar o telefone, ligar, marcar um encontro e conversar. Mas esse é o tipo de coisa que depende dos dois lados, ou seja, nem todos os problemas são ocasionados pelo empreiteiro/pedreiro, as vezes a falta de planejamento de quem pretende investir numa construção é a origem dos problemas. Então, quando você falar com os clientes do empreiteiro/pedreiro, tenha isso em mente: nem todo problema é ocasionado pelo fornecedor, muitas vezes a origem do stress é o próprio cliente mesmo!

Bom, nós ainda estamos procurando um bom empreiteiro para construir a nossa casa. Sim, um empreiteiro, porque pesando os prós e contras concluímos que um empreiteiro entrega, no geral, um trabalho mais bem executado, dentro do prazo e com melhor planejamento das etapas. Lógico, existem ótimos pedreiros, responsáveis, com um trabalho de qualidade e comprometidos com os prazos de entrega, mas acreditamos que a segurança de contratar uma empresa vale a diferença do orçamento e traz consigo uma promessa de melhor planejamento.

Já falamos com 4 empresas e, da mesma forma que com os arquitetos, existe uma variedade de serviços e preços bem grande.

Tanto pedreiros quanto empreiteiras cobram por m² construído, e basicamente vão fazer o orçamento de acordo com o padrão da construção, e aqui nem sempre é a planta baixa que define o valor, por incrível que pareça as projeções 3D influenciam muito! Aqui o pulo do gato é: faça o orçamento inicial baseado apenas na planta baixa. Em um segundo momento, se o valor inicial for coerente, leve as projeções e demais cortes para o empreiteiro ou pedreiro, você pode se surpreender com a diferença de valores. Pelo menos por aqui foi assim.

Para vocês terem uma ideia, no primeiro e segundo orçamento (quando levamos todos projetos, projeções e etc) tivemos valores de R$790,00m² e R$710,00m², já na terceira e quarta tentativa sem as projeções, apenas com a planta baixa, conseguimos os valores de R$550,00m² e R$450,00m², respectivamente. É, isso mesmo, diferença de mais de 40%. E caso estejam pensando que existe grandes diferenças entre uma empresa e outra, não há, todas são do mesmo nível, com exceção de uma que é menor e nos deu esse valor intermediário de R$550,00 por m².

Na escolha do empreiteiro valorizem bastante as indicações do arquiteto e do engenheiro que fizeram os projetos da casa de vocês, por eles acompanharem a execução das obras geralmente têm boas indicações de fornecedores.

Como eu disse antes, nós ainda não escolhemos quem executará a nossa obra, mas a nossa ideia é fixar um valor por metro quadrado que julgamos justo dentro da realidade do mercado regional e buscar um empreiteiro que ofereça qualidade por esse valor justo.

O importante é sempre planejar os custos o máximo possível, assim temos menos surpresas no caminho e não ultrapassamos muito o orçamento.